Projetos Culturais

 

Produção de Filmes de Ficção Curta-Metragem

A Cinematográfica atua na elaboração e execução de projetos culturais, de maneira independente ou através de editais de fomento à area do audiovisual. Com equipe versada em cinema independente, possui no currículo de seus realizadores diversos curta-metragens exibidos e premiados em festivais do mundo inteiro. Em 2018 a produtora está lançando o longa-metragem coletânea Histórias Estranhas, que reúne diretores de todo Brasil. Confira abaixo os trabalhos da equipe Cinematográfica na área.

FILMES

 

JOÃO NINGUÉM (2003 – 20’)
Homem sem memória (Herlon Holtz) vaga pelas ruas da cidade em busca de vítimas aleatórias para seus crimes, mas uma misteriosa garota (Any Ortiz) pode conter a chave para explicar a sua existência.

Direção: Filipe Ferreira
Roteiro: Édnei Pedroso
Elenco: Herlon Holtz, Any Ortiz, Eugênio Moreira

Participação em Festivais:
4o Santa Maria Vídeo e Cinema (2005)
Santa Maria/RS
Competitiva Nacional
13o Gramado Cine Vídeo (2005)
Gramado/RS
Competitiva Nacional
Festival de Cinema Fantástico de Ilha Comprida (2007)
Ilha Comprida/SP
Competitiva Nacional
1o Cine Terror na Praia (2010)
Guarapari/ES
Mostra “Estranho Sul”

BBZ (2007 – 19’)

Bem-vindos ao Big Brother Zumbi: união, intrigas, Prova do Líder, um prêmio milionário e centenas de mortos-vivos rondando a casa. Ninguém vai ficar parado.

Direção: Filipe Ferreira
Roteiro: Édnei Pedroso e Filipe Ferreira
Elenco: Cláudio Benevenga, Luciana Simões, Édnei Pedroso, Cláudia Borba

Participação em Festivais:
Festival de Cinema Fantástico de Ilha Comprida (2007)
Ilha Comprida/SP
Competitiva Nacional
3o Fantaspoa (2007)
Porto Alegre/RS
Competitiva Nacional
Festival Internacional de Cinema Fantástico do Rio de Janeiro (2008)
Rio de Janeiro/RJ
Mostra “Underground”
3o Cinema de Bordas Itaú (2011)
São Paulo/SP
Mostra Não-Competitiva

 

 

OS BATEDORES (2008 – 21’)

Raul (Marco Soriano Jr.), um habilidoso batedor de carteiras, é surpreendido pelo retorno à ativa de Amadeu Deodato, (Jack Gerchmann) um figurão que domina o submundo da cidade e com o qual o batedor tem uma grande dívida. Em sua trajetória na busca da quantia, Raul se depara com outros bandidos rasos como Ligeiro (Jéferson Rachewsky), seu antigo mestre Odilon (Artur José Pinto) e um travesti agiota (João França).

Direção: Filipe Ferreira
Roteiro: Édnei Pedroso
Elenco: Marco Soriano Jr., Cláudio Benevenga, Jéferson Rachewsky, João França, Eduardo Ribeiro, Eduardo
Steinmetz, Artur José Pinto, Jack Gerchmann

Participação em Festivais:
2o Curta Taquary (2009)
Taquaritinga do Norte/PE
Competitiva Nacional
3o Cinema com Farinha (2009)
Patos/PB
Competitiva Nacional
3o Festival Curta Cabo Frio (2009)
Cabo Frio/RJ
Competitiva Nacional
8o Festival Nacional de Cinema de Varginha (2009)
Varginha/MG
Competitiva Nacional
1o Festival Manuel Padeiro de Cinema e Animação (2009)
Pelotas/RS
Mostra Paralela
1o Festival de Cinema de Ribeirão Pires (2010)
Ribeirão Pires/SP
Competitiva Nacional
Prêmio de Melhor Direção
7o Fest Cine Maringá (2010)
Maringá/PR
Competitiva Nacional
XIII Fenart (2010)
João Pessoa/PB
Competitiva Nacional
14o Festival Internacional do Mercosul (2010)
Florianópolis/SC
Competitiva Internacional

 

 

NOVE E MEIA (2012 – 19’)

Um homem (Rafael Tombini) tem sua família destruída por um terrível acidente de trânsito que tira a vida de sua única filha. Desesperado e passando por um divórcio conturbado, ele descobre no souvenir que guardou do acidente – um pequeno relógio de pulso quebrado – a chave para encontrar o assassino.

Direção: Filipe Ferreira
Roteiro: Édnei Pedroso (adaptado do conto “Nove Horas e Trinta Minutos”, de Rubem Fonseca)
Elenco: Rafael Tombini, Herlon Holtz, Danielle Fogliatto, Giovanna Ferreira, Leonardo Machado

Participação em Festivais:
39a Jornada Internacional de Cinema da Bahia (2012)
Salvador/BA
Competitiva Nacional
29o Festival de Cine de Bogotá (2012)
Bogotá/Colômbia
Competitiva Internacional
20o Festival Chileno Internacional del Cortomatraje de Santiago (2012)
Santiago/Chile
Competitiva Internacional
IX FENACO – Festival Internacional de Cortometrajes en Lambayeque (2012)
Lambayeque/Peru
Competitiva Internacional
35o Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano (2013)
Havana/Cuba
Mostra Latinoamérica en Perspectiva
2o Festival de Cinema de Três Passos (2015)
Três Passos/RS
Competitiva Nacional

 

 

ARMADA (2012 – 15’)

Brasil, 1971. Os anos de chumbo lançam seu véu negro sobre o Rio Grande do Sul e o resto do país. Em Caxias do Sul, o jornalista Pedro (Davi Souza) acorda em um porão sombrio, rodeado de desconhecidos. Um deles, o soturno policial civil Nunes (Jorge Valmini), está determinado a arrancar de Pedro informações acerca de um levante armado que se dará em solo caxiense. Preso e acuado no misterioso local, Pedro alega desconhecer a referida “armada”, mas Nunes se valerá de métodos dolorosos para tirar a verdade de seu prisioneiro.

Direção: Filipe Ferreira
Roteiro: Édnei Pedroso
Elenco: Davi Souza, Jorge Valmini

Participação em Festivais:
3o Curta Goiamum (2012)
Natal/RN
Competitiva Nacional
41o Festival de Cinema de Gramado (2013)
Gramado/RS
Mostra Gaúcha
Prêmio de Melhor Roteiro
1o Cineserra (2013)
Caxias do Sul/RS
Competitiva Regional
Prêmios de Melhor Direção de Fotografia, Melhor Edição, Melhor Trilha Sonora e Melhor Filme
35o Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano (2013)
Havana/Cuba
Mostra dos Vencedores de Gramado

 

 

HUSKY (2015 – 8’)

Um desembaraçado corretor de imóveis (Marcello Crawshaw) conduz a visita de um possível cliente (Eduardo Steinmetz) até uma pequena mansão cheia de particularidades.

Direção: Filipe Ferreira
Roteiro: Édnei Pedroso
Elenco: Eduardo Steinmetz, Marcello Crawshaw
Obs: Além de ser um curta-metragem, HUSKY é parte integrante do longa-metragem coletânea “13 Histórias
Estranhas”.

Participação Solo em Festivais:
3o Qabila Film Festival (2015)
Cairo/Egito
Competitiva Internacional
3o Cineserra (2015)
Caxias do Sul/RS
Competitiva Regional
2o Festival de Cinema de Três Passos (2015)
Três Passos/RS
Competitiva Nacional
3o Chennai International Short Film Festival (2016)
Chennai/Índia
Mostra World Cinema
2o Ozark Shorts (2016)
Milford/Estados Unidos
Competitiva Internacional
Participação como segmento de “13 Histórias Estranhas” em Festivais:
11o Fantaspoa (2015)
Porto Alegre/RS
Competitiva Nacional
14o Macabro (2015)
Cidade do México/México
Competitiva Internacional
4o Feratum (2015)
Cidade do México/México
Competitiva Internacional
36o Fantasporto (2015)
Porto/Portugal
Competitiva Internacional
2o Mondo Estronho (2015)
Curitiba/PR
Competitiva Nacional
Prêmio de Melhor Longa-Metragem
6o Horror Quest (2015)
Atlanta/Estados Unidos
Competitiva Internacional
Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro
15a Mostra do Filme Livre (2016)
Rio de Janeiro/RJ
Mostra Trash
8o Drunken Zombie (2016)
Peoria/Estados Unidos
Competitiva Internacional
23o Festival de Cinema de Vitória (2016)
Vitória/ES
Mostra Viradão do Novo Cinema de Horror
1o Cine Horror – Mostra de Cinema Fantástico (2016)
Salvador/BA
Mostra Não-Competitiva
1o Morce-Go Vermelho – Goiás Horror Film Festival (2016)
Goiânia/GO
Competitiva Nacional
3o Festival Boca do Inferno (2016)
São Paulo/SP
Competitiva Nacional

 

 

INVISÍVEL (2017 – 8’)

Um homem invisível conta a sua trajetória de vida e os motivos que o levaram a se afastar de sua família.

Direção: Filipe Ferreira
Roteiro: Édnei Pedroso
Elenco: Eduardo Steinmetz, Marcello Crawshaw, Isadora Pillar
Obs: Além de ser um curta-metragem, INVISÍVEL é parte integrante do longa-metragem coletânea “Histórias
Estranhas”.

Participação Solo em Festivais:
10o Curta Cabo Frio (2017)
Cabo Frio/RJ
Competitiva Nacional
5o Cineserra (2017)
Caxias do Sul/RS
Competitiva Nacional
Prêmio de Menção Honrosa
5o Hrizantema Horror & Fantasy Film Festival (2017)
Subotica/Sérvia
Competitiva Internacional
6o Festival Internacional de Cortometrajes de El Heraldo (2017)
Tegucigalpa/Honduras
Competitiva Latinoamericana
Participação como segmento de “Histórias Estranhas” em Festivais:
TRASH – Mostra Internacional de Cinema Fantástico (2017)
Goiânia/GO
Mostra Não-Competitiva
A Vingança dos Filmes B – 7a Edição (2018)
Porto Alegre/RS
Mostra Não-Competitiva
3o Morce-Go Vermelho – Goiás Horror Film Festival (2018)
Goiânia/GO
Competitiva Nacional
Prêmio de Menção Especial

 

LONGA-METRAGEM HISTÓRIAS ESTRANHAS

Idealizado por Ricardo Ghiorzi (“A Maldição do Sanguanel”, “Porto dos Mortos”), o longa-metragem HISTÓRIAS ESTRANHAS é uma coletânea de suspense/terror/fantástico com oito segmentos realizados por produtoras de cinema independente e dirigidos pelos mais promissores cineastas de gênero do Brasil na atualidade. Essa ideia de reunir curtas em uma grande antologia de horror nacional é a culminação de um forte movimento na cena underground da última década, onde diversas produções de gênero com grande qualidade técnica e artística têm despontado por todo o território brasileiro; curtas e até longas-metragens de terror têm sido produzidos de forma independente por todo o Brasil.
Apesar de enfrentar dificuldades como a ausência de apoio financeiro ou uma menor divulgação na mídia mainstream, o cinema de gênero vem conquistando um público fiel e crescente no país.
Já existem filmes e diretores cultuados por uma grande base de fãs que procuram avidamente por conteúdos relacionados na internet, em eventos e festivais. Sites especializados na produção do novo terror nacional surgem com cada vez mais frequência e os perfis dos realizadores nas mídias sociais são seguidos por milhares de pessoas. A força desse movimento demonstra uma mudança no comportamento da grande mídia em relação a estes cineastas independentes, com canais de TV a cabo e plataformas VOD concedendo cada vez mais espaço para o horror nacional. O que já foi visto como cinema de nicho, hoje é recebido de braços abertos pelo grande público.

O filme:
A origem de HISTÓRIAS ESTRANHAS remonta o filme “13 Histórias Estranhas”, primeiro longa-coletânea idealizado por Ricardo Ghiorzi no qual o artista convidou trabalhos de treze diretores do sul do Brasil para compor a obra, que teve sua estreia no Fantaspoa (Brasil), o maior festival de cinema fantástico da América Latina, e uma boa recepção em importantes festivais internacionais de cinema de gênero como o Macabro (México) e o Fantasporto (Portugal), além de vencer o prêmio de “Melhor Filme Estrangeiro” no HorrorQuest (EUA). Contando com o segmento HUSKY, dirigido por Filipe Ferreira, “13 Histórias Estranhas” teve, também, participações de reconhecidos nomes do cinema fantástico do sul do Brasil como Fernando Mantelli, Petter Baiestorf, a dupla Taísa Ennes e Rafael Duarte, Paulo Biscaia Filho, Felipe M. Guerra, entre outros.

Dessa vez, HISTÓRIAS ESTRANHAS dá um grande passo ao convidar agora diretores de todo o Brasil, sintetizando o que há de melhor no cinema fantástico nacional independente e contando com alguns dos maiores nomes desse movimento do novo terror brasileiro. Entre assassinos, bruxas, demônios, mutantes e, até mesmo, um homem invisível, conheça as HISTÓRIAS ESTRANHAS:

NINGUÉM – Dir: Rodrigo Brandão
Cercado de solidão um andarilho vaga por entre ruas e construções abandonadas vasculhando escombros para
sobreviver. Porém, o que mais teme é ser encontrado.
A MÃO – Dir: Kapel Furman
Ninguém escapa da Mão.
MULHER LTDA. – Dir: Taísa Ennes
Dois funcionários de um necrotério resolvem testar uma droga miraculosa que promete acabar com seus problemas.
NO TROVÃO, NA CHUVA OU NA TEMPESTADE – Dir: Paulo Biscaia Filho
Um homem faz um pacto silencioso com três bruxas milenares, mas o preço a ser cobrado pode ser alto demais.
OS ENAMORADOS – Dir: Claudio Ellovitch
Tarô, Magia do Caos e os arquétipos universais do Inconsciente Coletivo atuam sobre o palco conturbado da
mente de um dramaturgo com problemas em seu relacionamento amoroso. As consequências serão sentidas no
mundo físico.
INVISÍVEL – Dir: Filipe Ferreira
Um homem invisível conta a sua trajetória de vida e os motivos que o levaram a se afastar de sua família.
SETE MINUTOS PARA A MEIA-NOITE – Dir: Ricardo Ghiorzi
Prestes a ter um filho, um casal aguarda ansioso por uma visita noturna.
APÓSTOLOS – Dir: Marcos DeBrito
Um homem sem cabeça prepara com cuidado uma grande ceia em frente a uma câmera fotográfica. Para
conseguir encenar o retrato tétrico que tem em mente, precisa conseguir a cabeça de Judas antes da chegada da
lua cheia.

Conheça os realizadores:

RODRIGO BRANDÃO
Diretor, produtor e diretor de fotografia com seis curtas no currículo, dentre eles, “Era dos Mortos” (2007), “A Maleta” (2010, vencedor do prêmio José Sette no Festival Primeiro Plano de Juiz de Fora) e “Um de Nós Morre Hoje” (2013), vencedor do prêmio de Melhor Curta de Ficção no Festival de Cinema de Muqui e indicado como melhor direção de fotografia no Primeiro Festival Online em Brasília.
KAPEL FURMAN
Cineasta, Artista Plástico e Diretor de Efeitos Especiais, Kapel responde pelos efeitos especiais dos filmes “O Cheiro do Ralo” (2007), “Encarnação do Demônio” (2008) e “Broder” (2010). Dirigiu e escreveu sete curtas, dentre eles o “06 Tiros; 60ml” (2004) , listado entre os 100 filmes mais violentos do cinema pela Revista Rue Morgue. É um dos apresentadores da série CineLab do Universal Channel/NBC e SyFy, em sua 4a temporada.
TAÍSA ENNES
Diretora, roteirista e montadora, Taísa fez a co-direção dos curtas “Noite Um” (2012), “A Princesa” (2013, vencedor do prêmio de “Melhor Curta-Metragem Nacional” no Fantaspoa), “Caçador” (2014, vencedor do prêmio de “Melhor Ator” no BRAFFTV e do prêmio ABC de Melhor Fotografia de Curta-Metragem) e do segmento “O Deus Neon”, no longa-metragem “13 Histórias Estranhas” (2015). Esta é sua primeira direção solo.
PAULO BISCAIA FILHO
Diretor e dramaturgo formado em artes cênicas pela PUC-PR, com mestrado em artes pela Royal Holloway University de Londres, Paulo tem em sua filmografia os longas “Nervo Craniano Zero” (2012, grande vencedor do Tabloid Witch Awards de 2013), “13 Histórias Estranhas” (2015, segmento “Conte até 10”) e a co-direção de “Virgin Cheerleaders in Chains”, longa americano com estreia prevista para 2017.
CLAUDIO ELLOVITCH
Diretor e roteirista que se dedica a trabalhos autorais em cinema live-action, animação e quadrinhos desde 2006. Seus filmes se destacaram em importantes festivais internacionais, sendo que “Pray” (2014) foi o grande vencedor do #VOFF3 (promovido pelo canal Viewster), festival no qual concorreram mais de 500 filmes de 60 países e que teve como júri: Udo Kier, Ted Hope, Timo Vuorensola e Nora Tschirner.
FILIPE FERREIRA
Publicitário de formação, tem inúmeros curtas em seu currículo, onde atua também como produtor e montador. Recebeu o prêmio de “Melhor Direção” no 1o Festival de Cinema de Ribeirão Pires – Um Novo
Olhar pelo curta-metragem “Os Batedores” (2009), tendo dirigido, também, os curtas “Nove e Meia” (2012,
adaptação do conto “Nove Horas e Trinta Minutos”, de Rubem Fonseca), “Armada” (2012) e “Husky”, segmento do longa-metragem “13 Histórias Estranhas” (2015).
RICARDO GHIORZI
Idealizador e produtor geral do projeto HISTÓRIAS ESTRANHAS, Ricardo atuou como artista de efeitos especiais
em dezenas de curtas e longas. Como diretor, roteirista e produtor, destacam-se o longa-metragem “A Maldição do Sanguanel” (2014, segmento “Dois Bêbados e um Homenzinho Verde”) e a coletânea “13 Histórias Estranhas” (2015), da qual foi criador e dirigiu o segmento “Encomenda Especial”.
MARCOS DEBRITO
Diretor, roteirista e autor publicado, possui sólida carreira como curta-metragista, com prêmios no Festival de
Cinema de Gramado (2001) e no São Paulo International Film Festival (2004). Co-dirigiu o longa Condado Macabro (2015), premiado como “Melhor Filme Nacional” no Fantaspoa e distribuído comercialmente para diversos países.

   

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no print
Print
Compartilhar no email
Email